segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Encontros de fevereiro

Mudança na agenda do mês: por motivo de viagem, antecipamos para o dia 20 de fevereiro, terça feira, às 19h30, a vivência que aconteceria no dia 24. Gratos pela compreensão!

domingo, 28 de janeiro de 2018

Sobre as dimensões do tempo no trabalho das constelações familiares

Uma das perguntas recorrentes feitas nos grupos de constelação: 
Como é possível que situações que ocorreram em gerações anteriores (por vezes até desconhecidas da pessoa que constela) se mostrem presentes no campo da constelação manifestando nitidamente sua atuação e influência a vida atual do cliente? 
Sob a ótica científica, a epigenética traz explicações cada vez mais precisas a esse respeito. Por outro lado, tradições culturais ditas “primitivas”, lançam mão há séculos do recurso de atemporalidade na realização de seus trabalhos de cura.
Em que pese o fenômeno da atemporalidade se manifestar em diversas constelações e ser fascinante para quem assiste o trabalho, corre-se o risco de perdermos o sentido da constelação, ficando em um nível meramente especulativo e de curiosidade, se o fenômeno passar a ser considerado o próprio trabalho.  Ele não é. Consiste, sim, no meio através do qual chegamos a uma outra pergunta que nos conduz mais além: a serviço do quê ele existe? Por que ele se apresenta nos trabalhos de cura?
A seguir um trecho do livro de Daan van Kampenhout, La sanación viene desde afuera – Chamanismo y Constelaciones Familiares, onde o tema é tratado com maestria.  As observações entre parênteses são minhas.
[...]A experiência da atemporalidade é de suma importância na prática xamânica (e nas constelações). Quando a experiência do tempo linear é quebrada, o fluxo de histórias que normalmente contamos a nós mesmos é interrompido. Pensar em termos das histórias passadas, das que estão acontecendo agora ou que deveriam estar ocorrendo em seu lugar; ou ainda, acerca do que aconteceu ontem ou deveria acontecer no futuro, só é possível quando a consciência está firmemente ancorada no tempo linear. Na atemporalidade do ritual xamânico (e das constelações), essas histórias internas perdem sua sustentação imediatamente. Fragmentam-se e perdem sua coesão; podendo haver momentos nos quais ficam totalmente silenciadas. E quando o compulsivo monólogo interno se debilita, a consciência é liberada para uma nova experiência. Quando as histórias internas a respeito de nós mesmos e dos outros perdem o domínio sobre nossa atenção, o que sentimos é a experiência real de energia ligada a essas histórias, a energia que é a sua essência. Por exemplo, em vez de repetir a interminável queixa familiar de que nosso companheiro não fala que nos ama, de repente, podemos sentir outra verdade: o sofrimento silencioso que fechou seu coração há muito tempo atrás. Ou, em vez de dizermos repetitivamente que nossa mãe nunca nos olhou realmente e como isso nos mobiliza, agora sentimos o medo enorme de uma criaturinha que às vezes necessitava mais do que seus pais podiam lhe dar.  
Os padrões de pensamento habituais servem para manter a realidade fixa de uma forma que está a serviço das identificações da personalidade. Ancorada na atemporalidade, a consciência começa a ver outras camadas da verdade, a da verdadeira energia do corpo e as camadas mais profundas da psique. Experimentar a atemporalidade e, desse modo, abrir-nos para chegar a camadas mais essenciais de experiência, é um fator chave na cura, tanto para o xamã (constelador) quanto para seu cliente. [...]

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Palavras de um mestre

Os mestres: [...] Não canso de alertar meus alunos, tanto na Europa como nos Estados Unidos: "Não procurem o sucesso. Quanto mais o procurarem e o transformarem num alvo, mais vocês vão sofrer. Porque o sucesso, como a felicidade, não pode ser perseguido; ele deve acontecer, e só tem lugar como efeito colateral de um dedicação pessoal a uma causa maior que a pessoa, ou como subproduto da rendição pessoal a outro ser. A felicidade deve acontecer naturalmente, e o mesmo ocorre com o sucesso; vocês precisam deixá-lo acontecer não se preocupando com ele. Quero que vocês escutem o que sua consciência diz que devem fazer e coloquem-no em prática da melhor maneira possível. E então vocês verão que a longo prazo - estou dizendo: a longo prazo! - o sucesso vai persegui-los, precisamente porque vocês esqueceram de pensar nele."
Viktor Frankl - no prefácio da edição de 1984 do livro Em Busca de Sentido - Um Psicólogo no Campo de Concentração.