terça-feira, 10 de abril de 2018

Há tempo para tudo sob o céu...

Há um tempo que me perguntam se ministro cursos de constelações familiares. A resposta foi sempre não.
Já fui tentada a organizar uma formação em Santa Maria na área da pedagogia sistêmica. Tenho tantos amigos professores, em todos os níveis de ensino das redes privada e pública que, sem exceção, falam do agravamento da situação em sala de aula...
Em 2016, participei de um curso com a pedagoga e consteladora Marianne Franke-Gricksch, fundadora da pedagogia sistêmica. Aprendi algumas coisas e fiquei motivada a examinar a possibilidade de organizar a formação nessa área. Mas devido à minha profissão original, como produtora cultural, que já me fez trilhar algumas vezes a senda de organização de eventos, optei por não "misturar as estações".
O trabalho com as constelações surgiu como um caminho natural que vem se abrindo passo à passo e sempre me conduzindo ao "campo". Não me atraiu a idéia de gerir a produção de um evento no qual gostaria de ser apenas aluna. Optei, assim, por não me envolver com a produção de uma formação.
Mas o chamado continua...e, finalmente, resolvi olhar para isso com bons olhos.
Assim, no dia 26 de abril iniciaremos, em Santa Maria, através do convite recebido da terapeuta Angela da Luz, um grupo de estudos para 14 pessoas interessadas em conhecer os fundamentos dos movimentos sistêmicos. 

Fui honrada também com o convite de minha colega de formação, amiga de tantas e tantas jornadas, Fabiane Bittencourt, para ministrar um módulo da formação que acontecerá em Porto Alegre, a partir do meio desse ano. Se tiver interesse, acesse o site http://constelacoesistemicas.com.br/formacao-constelacoes-familiares/

Seguimos...

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Encontros de fevereiro

Mudança na agenda do mês: por motivo de viagem, antecipamos para o dia 20 de fevereiro, terça feira, às 19h30, a vivência que aconteceria no dia 24. Gratos pela compreensão!

domingo, 28 de janeiro de 2018

Sobre as dimensões do tempo no trabalho das constelações familiares

Uma das perguntas recorrentes feitas nos grupos de constelação: 
Como é possível que situações que ocorreram em gerações anteriores (por vezes até desconhecidas da pessoa que constela) se mostrem presentes no campo da constelação manifestando nitidamente sua atuação e influência a vida atual do cliente? 
Sob a ótica científica, a epigenética traz explicações cada vez mais precisas a esse respeito. Por outro lado, tradições culturais ditas “primitivas”, lançam mão há séculos do recurso de atemporalidade na realização de seus trabalhos de cura.
Em que pese o fenômeno da atemporalidade se manifestar em diversas constelações e ser fascinante para quem assiste o trabalho, corre-se o risco de perdermos o sentido da constelação, ficando em um nível meramente especulativo e de curiosidade, se o fenômeno passar a ser considerado o próprio trabalho.  Ele não é. Consiste, sim, no meio através do qual chegamos a uma outra pergunta que nos conduz mais além: a serviço do quê ele existe? Por que ele se apresenta nos trabalhos de cura?
A seguir um trecho do livro de Daan van Kampenhout, La sanación viene desde afuera – Chamanismo y Constelaciones Familiares, onde o tema é tratado com maestria.  As observações entre parênteses são minhas.
[...]A experiência da atemporalidade é de suma importância na prática xamânica (e nas constelações). Quando a experiência do tempo linear é quebrada, o fluxo de histórias que normalmente contamos a nós mesmos é interrompido. Pensar em termos das histórias passadas, das que estão acontecendo agora ou que deveriam estar ocorrendo em seu lugar; ou ainda, acerca do que aconteceu ontem ou deveria acontecer no futuro, só é possível quando a consciência está firmemente ancorada no tempo linear. Na atemporalidade do ritual xamânico (e das constelações), essas histórias internas perdem sua sustentação imediatamente. Fragmentam-se e perdem sua coesão; podendo haver momentos nos quais ficam totalmente silenciadas. E quando o compulsivo monólogo interno se debilita, a consciência é liberada para uma nova experiência. Quando as histórias internas a respeito de nós mesmos e dos outros perdem o domínio sobre nossa atenção, o que sentimos é a experiência real de energia ligada a essas histórias, a energia que é a sua essência. Por exemplo, em vez de repetir a interminável queixa familiar de que nosso companheiro não fala que nos ama, de repente, podemos sentir outra verdade: o sofrimento silencioso que fechou seu coração há muito tempo atrás. Ou, em vez de dizermos repetitivamente que nossa mãe nunca nos olhou realmente e como isso nos mobiliza, agora sentimos o medo enorme de uma criaturinha que às vezes necessitava mais do que seus pais podiam lhe dar.  
Os padrões de pensamento habituais servem para manter a realidade fixa de uma forma que está a serviço das identificações da personalidade. Ancorada na atemporalidade, a consciência começa a ver outras camadas da verdade, a da verdadeira energia do corpo e as camadas mais profundas da psique. Experimentar a atemporalidade e, desse modo, abrir-nos para chegar a camadas mais essenciais de experiência, é um fator chave na cura, tanto para o xamã (constelador) quanto para seu cliente. [...]

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Palavras de um mestre

Os mestres: [...] Não canso de alertar meus alunos, tanto na Europa como nos Estados Unidos: "Não procurem o sucesso. Quanto mais o procurarem e o transformarem num alvo, mais vocês vão sofrer. Porque o sucesso, como a felicidade, não pode ser perseguido; ele deve acontecer, e só tem lugar como efeito colateral de um dedicação pessoal a uma causa maior que a pessoa, ou como subproduto da rendição pessoal a outro ser. A felicidade deve acontecer naturalmente, e o mesmo ocorre com o sucesso; vocês precisam deixá-lo acontecer não se preocupando com ele. Quero que vocês escutem o que sua consciência diz que devem fazer e coloquem-no em prática da melhor maneira possível. E então vocês verão que a longo prazo - estou dizendo: a longo prazo! - o sucesso vai persegui-los, precisamente porque vocês esqueceram de pensar nele."
Viktor Frankl - no prefácio da edição de 1984 do livro Em Busca de Sentido - Um Psicólogo no Campo de Concentração.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Workshop Intensivo O FIO DE ARIADNE - de dentro pra fora, de fora pra dentro.

Então concluímos ontem, dia 1° de outubro o Workshop Intensivo de constelações familiares e sistêmicas O FIO DE ARIADNE - de dentro pra fora, de fora pra dentro.
Gratidão ao grupo de participantes pelas vivências profundas e renovadoras que tivemos nesses dias! Sigamos em frente!
As constelações impulsionam os participantes a:

- curar relações afetivas, profissionais e institucionais;

- recuperar a força que se perdeu em situações que não foram resolvidas no passado (em sua geração ou nas anteriores), permitindo então o desenvolvimento pleno de seu potencial;

- renovar o olhar a respeito das doenças, vendo-as como uma oportunidade;

- explorar a responsabilidade que cabe a cada um como cidadãos na criação do coletivo.


Esse trabalho é dirigido às pessoas que buscam se conhecer, ser mais livres e felizes, ter um fluxo melhor em sua caminhada pessoal, profissional e na saúde. Para que isso aconteça necessitamos coragem, pois, muitas vezes, o que impede uma vida mais próspera pode estar ligado a padrões repetitivos e patológicos de um sistema familiar, entre outras tantas causas possíveis. 


Nestes dias os participantes do workshop poderão trabalhar um tema de sua escolha, através da constelação, e também experimentar estar em novas posições dentro de diferentes sistemas, sendo representantes nas constelações de  outros integrantes do grupo.
O tema "O FIO DE ARIADNE- de dentro pra fora, de fora pra dentro" foi escolhido para que se possa, com segurança e conduzidos pelo fio do amor, visitar lugares recônditos que cada um tem em si, resignificando experiências, crescendo e fortalecendo a perspectiva de um presente e um futuro com mais poder pessoal. Contar com um fio condutor, que possibilita mergulhar e emergir em segurança, é fundamental em um processo terapêutico, crescendo e caminhando com inteireza, mesmo quando o processo leva à ruptura de padrões. Deixar-se conduzir pelo fio do amor, que pode levar e clarear  espaços ainda escondidos dentro de si, nos quais, quem sabe, mora a força, a alegria e a paz!

E trazê-las à tona, à prática do cotidiano, no sentido de uma vida mais plena. Você é bem vindo(a) para caminhar conosco.

Na agenda do blog estão os detalhes de datas e horários. O formulário de inscrições está disponível no link:  





sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Novos horizontes, refinamento do trabalho

Descortinando novos horizontes, refinando o trabalho.
Na próxima semana, inicio a nova formação no Modelo de Validação Humana de Virginia Satir.
No link que segue, algumas informações sobre o trabalho de Virginia Satir, cujo trabalho serve como uma das bases das constelações sistêmicas e familiares.
https://indd.adobe.com/view/f9a8faa3-342d-4911-a8de-ba478c90bbac