terça-feira, 23 de maio de 2017

Em julho: Workshop Intensivo de Constelações Familiares, O FIO DE ARIADNE - de dentro pra fora, de fora pra dentro.

No próximo mês de julho, além das vivências agendadas, teremos o Workshop Intensivo O FIO DE ARIADNE - de dentro pra fora, de fora pra dentro.

Participar de um WORKSHOP INTENSIVO é uma oportunidade única, quando mergulhamos em um processo que permite uma percepção mais ampla e profunda da vida e dos relacionamentos humanos e, também, institucionais.

As constelações impulsionam os participantes a:

- curar relações afetivas, profissionais e institucionais;
- recuperar a força que se perdeu em situações que não foram resolvidas no passado (em sua geração ou nas anteriores), permitindo então o desenvolvimento pleno de seu potencial;
- renovar o olhar a respeito das doenças, vendo-as como uma oportunidade;
- explorar a responsabilidade que cabe a cada um como cidadãos na criação do coletivo.

Nos dias 28, 29 e 30 de julho, em Santa Maria, acontecerá o workshop O FIO DE ARIADNE - de dentro pra fora, de fora pra dentro, quando os participantes poderão trabalhar um tema de sua escolha e, também, experimentar estar em novas situações dentro de diferentes sistemas, sendo representantes nas constelações de outros integrantes do grupo.
O tema O FIO DE ARIADNE foi escolhido para que se possa, com segurança e conduzidos pelo amor, visitar lugares recônditos que cada um de nós tem em si, resignificando experiências, crescendo e fortalecendo a perspectiva de um presente e um futuro com mais poder pessoal!
Esse trabalho é dirigido às pessoas que buscam se conhecer, ser mais livres e felizes, ter um fluxo melhor em sua caminhada pessoal, profissional e na saúde. Para que isso aconteça, necessitamos coragem, pois, muitas vezes, o que impede uma vida mais próspera pode estar ligado a padrões repetitivos e patológicos de um sistema familiar, entre outras tantas causas possíveis. 
Contar com um fio condutor, que nos permita mergulhar e voltar a emergir seguros, é fundamental em um processo terapêutico. Para que possamos caminhar com inteireza, mesmo quando o processo nos leva à quebra de padrões, pois estes não significam uma desconexão e sim um reconhecimento ao que foi, da forma que foi. Um grande SIM à vida e, ao mesmo tempo, à possibilidade de um novo caminho.


Deixar-se conduzir pelo fio do amor, que pode levar aos espaços ainda escondidos dentro de cada um, onde, quem sabe, mora a alegria, a força e a paz!

Você é bem vindo(a) para caminhar conosco.
Na agenda do blog estão os detalhes de datas e horários. 
As inscrições podem ser feitas acessando o link:
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe6bekH9cMqAv9gncwXY_JmU9J8uow5REIUaUDvo3RO215fHA/viewform

terça-feira, 25 de abril de 2017

Outono

O poema, na íntegra:
LIBAÇÃO - Elisa Lucinda
É do nascedouro da vida a grandeza.
É da sua natureza a fartura
a ploriferação
os cromossomiais encontros,
os brotos os processos caules,
os processos sementes
os processos troncos,
os processos flores,
são suas mais finas dores

As conseqüências cachos,
as conseqüências leite,
as conseqüências folhas
as conseqüências frutos,
são suas cores mais belas

É da substância do átomo
ser partível produtivo ativo e gerador
Tudo é no seu âmago e início,
patrício da riqueza, solstício da realeza

É da vocação da vida a beleza
e a nós cabe não diminuí-la, não roê-la
com nossos minúsculos gestos ratos
nossos fatos apinhados de pequenezas,
cabe a nós enchê-la,
cheio que é o seu princípio

Todo vazio é grávido desse benevolente risco
todo presente é guarnecido
do estado potencial de futuro

Peço ao ano-novo
aos deuses do calendário
aos orixás das transformações:
nos livrem do infértil da ninharia
nos protejam da vaidade burra
da vaidade "minha" desumana sozinha
Nos livrem da ânsia voraz
daquilo que ao nos aumentar
nos amesquinha.

A vida não tem ensaio
mas tem novas chances

Viva a burilação eterna, a possibilidade:
o esmeril dos dissabores!
Abaixo o estéril arrependimento
a duração inútil dos rancores

Um brinde ao que está sempre nas nossas mãos:
a vida inédita pela frente
e a virgindade dos dias que virão!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Novos horizontes, refinamento do trabalho

Descortinando novos horizontes, refinando o trabalho.
Na próxima semana, inicio a nova formação no Modelo de Validação Humana de Virginia Satir.
No link que segue, algumas informações sobre o trabalho de Virginia Satir, cujo trabalho serve como uma das bases das constelações sistêmicas e familiares.
https://indd.adobe.com/view/f9a8faa3-342d-4911-a8de-ba478c90bbac

sábado, 31 de dezembro de 2016

Segunda parte da entrevista na Rádio Imembuí de Santa Maria - Ano Novo

Respondendo algumas perguntas sobre constelações familiares no programa de Ano Novo da Rádio Imembuí de Santa Maria. Lua Nova - Ano Novo! Felicidades!
É só acessar o link:

https://soundcloud.com/lucia-silber/entrevista-lucia-silber-radio-imembui-ano-novo


sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Entrevista sobre as constelações familiares e sistêmicas na Rádio Imembuí de Santa Maria

Para escutar a entrevista concedida no dia 24 de dezembro de 2016, é só copiar e colar o link:
https://soundcloud.com/lucia-silber/entrevista-radio-imembuimp4?utm_source=soundcloud&utm_campaign=share&utm_medium=facebook


terça-feira, 25 de outubro de 2016

Palestra em Porto Alegre - A Experiência das Constelações e sua Aplicabilidade no Judiciário

No dia 8 de novembro, na programação da 62a. Feira do Livro de Porto Alegre, aconteceu a palestra promovida pelo Memorial do Judiciário, no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, sobre as experiências das constelações e sua aplicabilidade no sistema judiciário.
Para mim foi uma honra contribuir neste evento, pois depois de vinte e três anos de minha graduação em Direito, em Porto Alegre, e de onze anos das intensas atividades de produção cultural que minha empresa, Lahtu Sensu, realizou pelo Centenario de Erico Verissimo desenvolvidos naquele espaço cultural, voltar a esse local para falar sobre as Constelações Sistêmicas foi extremamente gratificante.
No caminho para Porto Alegre, reli algumas passagens do livro "Um Lugar para os Excluídos" de Bert Hellinger. Trata-se praticamente de uma entrevista onde ele relata muitas passagens de sua trajetoria até chegar às constelações. Interessante que ele nada descarta de seu caminho, reflete sobre a construção do terapeuta em que se tornou através de cada uma de suas vivências. Isso vale para cada um de nós, que chegamos com trajetorias tão diversas até esse lugar de conduzir trabalhos de constelações. Enriquecedor.
Foi muito instrutivo também ouvir a palestra da juíza Lizandra dos Passos, pioneira no Estado na aplicação da visão sistêmica no judiciário. De forma simples e cuidadosa, ela vem introduzindo a visão sistêmica, agregando profrissionais das constelações e atendendo diversas situações relativas a menores e familias obtendo resultados que comprovam a efeicácia da abordagem. Também destaco a abertura demonstrada pelo Judiciário em explorar esse tema em um evento de grande afluxo de público, como a Feira do Livro de Porto Alegre, foi tocante, gerando mais esperança no sentido de integração de técnicas e pessoas voltadas para a resolução de conflitos por meio da paz.
Meus agradecimentos ao Des. José Carlos Teixeira Giorgis pela sensível condução dos trabalhos e à amiga de tantos anos, Sabrina Lindemann, pelo convite para participar.
.





segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Leituras


[...]Uma pessoa se aproximou de um prédio em construção que tinha muitos operários. Perguntou a um deles o que estava fazendo. A resposta foi: "Estou cortando pedras." Perguntou a outro que lhe disse: "aqui ganho meu dinheiro." O terceiro respondeu: "Alimento minha familia."E o quarto disse: " Colaboro com a construção de uma catedral para honrar a Deus."[...]
[...]Através desta história os construtivistas diriam: "Olha os diferentes contextos em que podes ver tua própria atitude (ou também a atitude alheia). Tu podes escolher. Tuas identificações são perspectivas do teu espírito e teu espírito está livre para colocar a ti mesmo, a teu pensamento, sentimento e atuação neste ou naquele contexto, de descever assim ou de outra forma, de explicar e valorizar. Noventa por cento de nossas percepções são historias que inventamos a nós mesmos". Desta maneira descobrimos que a função do Eu de identificar-se é uma possibilidade criativa livre, quer dizer, dirigida de dentro para fora, de todo o ser humano.[...]

Tradução livre de um trecho do livro El Arte de Amarse - un ejercicio espiritual sistémico de Siegfried Essen, 
Editora Alma Lepik